Poesias

“Pomba Branca” de Telmo Rolo

Foto: Unknown

Olho da minha janela observo,

Soldados disparando, com obrigação

Inocentes e crianças caindo pelo chão

No céu chora nosso humilde servo

Vejo distante uma árvore despida

Em ramo velho e seco

Pousa insegura, pomba branca

Cada sua miragem soa a despedida

Em breve o ramo irá partir

Pomba branca da árvore irá cair

Não há esperança que ela volte a voar

Por ela irei chamar

Nunca mais se irá levantar

Não tem forças para voar, esta guerra cobrir

Sem forças para acudir

Sua missão terminou

A guerra não mais acabou

Pomba branca já morta no chão

Fez sua parte, tu não

Soldado enterra de vez, tua arma no chão

Ouve teu coração,

Não mates mais teu irmão!

by  Telmo André B. Rolo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s