1

“…(Des)empregado…” de Hugo Moreira

Trabalho seguro e bem remunerado,

Num piscar de olhos ficou desempregado,

Devido à preguiça ficou ao alto,

É agora é vê-lo a canto.

Ainda sorri o bolso esta cheio,

Mas o jogo ainda vai a meio,

Poupanças faz, mas de cotão,

Agora é vê-lo a estender a mão.

O subsidio esta a acabar,

Procurar trabalho? Faz suar,

Ganha dinheiro só de pensão,

Alguns condenam outros dão razão.

Ganha dinheiro de quem trabalha,

Passa o dia a jogar a malha,

Roupa rasgada não dá para mais,

Rouba quem passa sem deixar sinais.

O tempo passa o dinheiro não chega,

Revoltado com tudo o subsidio levou nega,

Droga no bolço não dá para comer,

É morrer mas sem saber.

Carro vendido casa não têm,

Mas a postura ele mantêm,

Sarro na cara rasgos na mão,

Nem assim aprende a lição.

Entra e sai do hospital,

Teve alta menos-mal,

Chega à rua vai pedir,

Desta vida não vai sair.

Sem saber mais o que fazer,

Antes feliz agora a morrer,

Sente a falta do sustento,

Chora agora naquele assento.

Assento que lhe dava a paz,

Mas agora ele corre atrás,

Mas não encontra já se escondeu,

Aquele trabalho desapareceu.

Levou com ele a felicidade,

De um homem de meia-idade,

Caso após caso se arrependeu,

Tarde de mais…ele perdeu.

by Hugo Moreira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s