Sem categoria

“No pio da Perdiz” de Mefistus

Amanhece no meu instinto
a vida seguida sem certezas
ah, tempo de riquezas
Agora que está findo.

Solicitude perene de acordar
e nesta vida naufragar
calma e perturbante
a dicotomia de uma vida.

Gotas de orvalho no rosto triste
tu que outrora nada sentiste
já fui homem de costas em riste
até esse dia em que partiste

Cale-se o mundo, cealem-se os pássaros
murchem as flores, afoguem-se os bardos
a quietude de ser feliz
foi-se no pio da perdiz

by Mefistus

One thought on ““No pio da Perdiz” de Mefistus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s