1

“Mãe” de Rosário Palma

Uma palavra tão pequena

Que transporta tantos sentimentos.

Tão ternos, tão grandes que quase parecem não caber no seu coração.

Mas cabem, cabem sempre, para o resto da sua e das nossas vidas.

Em cada ruga da sua face tem toda uma história de vida.

São estas rugas que te tornam mais bonita.

Foram tantas noites sem dormir por minha causa.

Foram tantas coisas de que abdicaste na tua vida em prol da minha.

Sofrias mais do que eu quando a vida me corria mal.

Sorrias mais do que eu quando a vida me compensava de alguma forma.

Vibravas com a minha felicidade esquecendo a tua.

E eu, nunca te agradeci.

Um gesto meigo, um abraço, um beijo, não são suficientes para te compensar, agora, de tudo o que fizeste por mim.

Fizeste de mim uma pessoa bem formada a todos os níveis.

Incutiste-me os mais nobres valores.

Se hoje estou de bem com a vida a ti o devo.

Sem a tua força, o teu carinho, os teus conselhos, não teria chegado onde cheguei.

Sempre foste o meu pilar, no qual me apoiava quando me faltava a coragem.

Sempre foste o meu porto de abrigo quando me sentia à deriva.

Não me lembro de alguma vez te ter dito: “Amo-te muito Mãe”.

Provavelmente não o disse mesmo.

Será que ainda vou a tempo? Perdoa-me tantos anos para ouvires um agradecimento tão simples.

Digo agora, mesmo que seja um pouco tarde, mas digo: “Amo-te muito Mãe”

Sei que vais verter uma lágrima é de alegria mas chorar de alegria é bom.

Sei que quando to disser, uma dessas tuas rugas vincadas, nesse rosto que já foi belo vai ficar menos vincada.

Tenho tanto orgulho em ti, e mesmo com as tuas rugas, continuas com os mesmos traços de beleza que sempre tiveste.

Sempre foste uma mulher linda e continuas a ser.

Agora, o teu coração, é maior.

Agora divides esse amor que tens dentro de ti, por mim e pelos netos.

É como se tivesses uma fonte que nunca seca. Cada vez que dás amor ele renova a triplicar.

Queria tanto ser como tu.

Ter essa infinidade de afectos, amor, compreensão, mesmo quando sofres com as tuas dores e consegues aliviar as dos outros.

Afinal sou uma mulher cheia de sorte!

Entre tantas mães que existem tu calhaste-me a mim.

Será que foste tu que me escolheste?

Parece teres um dom quase sobrenatural.

Obrigada, mãe, por me teres escolhido a mim para tua filha.

Mãe, amo-te tanto!

 

by Maria do Rosário Palma

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s