1

“A Sedução da Noite” de Casimiro Teixeira

Tanto clarão que nestas trevas refulgiu,
Morreram-me uns poucos medos ao ver tanta luz.
Depois, veio a noite e de novo me seduziu,
Com seu manto de paz que sempre me seduz.

Quisera eu ser filho deste pó leve de claridade,
Seria mais da cor que ilumina os seres maiores,
Ai de mim, infeliz vivo fechado em saudade,
No escuro morredoiro dos meus dissabores.

Este poema é de mágoas, dores, ansiedade e desgosto.
Não é coisa de lume forte, esperançoso e colorido.
Tanto clarão, e nem um só que me alumie.

Ai de mim, seduzido por um negrume sem rosto,
Que me valham os poucos medos fugidos do sentido,
Pois não tenho luz mais forte que me sacie.

by Casimiro Teixeira
2011

One thought on ““A Sedução da Noite” de Casimiro Teixeira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s