Sem categoria

Entrevista com Inês Dunas

   A primeira entrevista do Em Jeito de Escrita é a Inês Dunas, com 35 anos residente em Seixal.  Esta fala-nos um pouco dos seus gostos, da sua escrita e ainda da dificuldade de editar poesia.
Leia e deixe a sua opinião relativamente à escritora e à sua entrevista.

Livros preferidos: “A insustentável leveza do Ser” de Milan Kundera;
“O ensaio sobre a cegueira” de Saramago;
“Veronika decide morrer” de Paulo Coelho.

Música preferida: Unchained Melody Righteous Brothers
Filme preferido: Dirty Dancing
Hobbies: ler, cinema, dançar
Citação de eleição: “O sonho comanda a vida”
Citação preferida da sua autoria: “A vida é uma linha recta repleta de curvas”
Poetas preferidos: Fernando Pessoa, Florbela Espanca e Sophia de Mello Breyner. E também alguns novos autores, ainda desconhecidos, que tenho o privilegio de ler e acompanhar.

EM JEITO DE ESCRITA: Há quanto tempo escreve poesia e como surgiu o gosto pela mesma?

INÊS DUNAS: Escrevo poesia desde miúda, mas mais a serio na adolescência. Surgiu como uma alternativa ao diário porque não tinha paciência para escrever relatos do meu dia, então optava por escrever apenas sobre aquilo que tinha alguma importância…

EJE: Do que é que escrevia nesses tempos de adolescência?

I.D.: Magoas, amores secretos, desilusões, ilusões e escrevia em forma de poema para não ser fácil de decifrar, suponho.

EJE: Nos tempos de adolescência a poesia era alternativa ao diário, hoje resume-se ao mesmo?

I.D.: Sim. A poesia é uma confidente, sem dúvida, muitas vezes chega a ser conselheira. Não sou capaz de escrever se não sentir, o sentir e o criar, no meu caso, são dissociáveis.

EJE: Conselheira em que sentido?

I.D.: Porque às vezes quando termino de escrever encontro a resposta que procurava em mim.

EJE: Já editou algum livro?

I.D.: Sim. Editei um romance, “Descalça às Escuras” e um livro de poesia “Desejo a Marte, Tão Perto” o ano passado. Este ano participei em 3 Antologias poéticas de 3 editoras diferentes “Antologia Waf” (já á venda) pela Corpos Editora, “In Versos” pela E-copy Macalfa e “Poetar Contemporâneo” pela Edições Vieira da Silva.

EJE: Tem projectos futuros a nível literário?

I.D.: Sim, gostava de lançar mais 3 livros. Provavelmente no ano que vem. Já iniciei os três livros, um é de poesia, outro é um romance e ainda um de prosa poética.

EJE: É mais difícil editar um livro de poesia ou de estorias?

I.D.: A poesia nunca foi muito comercial, existe muito mais procura, por parte dos leitores, de romance do que poesia. Assim sendo as editoras, de uma forma geral apostam mais no romance.

EJE: Porque é que acha que a poesia não é muito comercial, a nível de edição de livros. Visto que a poesia é aplicada muito a nível musical.

I.D.: A poesia cantada não é igual à poesia que se encontra num livro de Fernando Pessoa por exemplo. Muitas vezes a poesia não é fácil de compreender, isso às vezes afasta o leitor. A poesia que se ouve numa canção é feita para “entrar no ouvido” e para ter um sentido acessível, a poesia escrita muitas vezes é mais complicada e indirecta.

EJE: Como chegou até ao Em Jeito de Escrita?

I.D.: Foi através de outros novos autores, nomeadamente o Rogério Peixoto e a Daniela Henriques

EJE: O que gosta do EJE?

I.D.: Gosto muito da partilha e da iniciativa de levarem a outras pessoas a qualidade de novos talento da escrita.

EJE: Como gostava de ver o EJE futuramente?

I.D.: Gostava que ganhasse ainda mais projecção e que trabalhasse directamente com uma editora numa dinâmica de caça a novos talentos.

EJE: Pegando na sua frase de eleição. O ‘sonho’ de escrever tem comandado a sua vida?

I.D.: O sonho comanda a minha vida, escrever, completa-a!

5 thoughts on “Entrevista com Inês Dunas

  1. E assim é Inês, uma figura ímpar nos meandros da boa arte de escrever, que deliciosamente nos deleita em versos ou divagações de alma,surrealisticamente perfeitas e contudo metafóricamenteexigentes na sua criação e plenitude.
    Amo ler Inês Dunas, pois não raras vezes me revejo nas suas linhas límpidas sem imperfeições.
    Sonho, choro ou rio com as curvas dos seus sonetos, das suas declamações, das suas divagações.
    Recomendo a sua leitura, como se de um belo vinho do Porto se tratasse…Para consumir com moderação, com paladar, mas sempre com vontade de sonhar.
    Nesta entrevista Inês é acima de tudo ela mesma e isso…é tão especial!

  2. Olá a todos,

    Acompanho a escrita da Inês há já algum tempo. É detentora de um enorme talento, pela forma hábil como lida com as palavras, associada à naturalidade com que o faz. A sua escrita flui, e lê-se com essa mesma fluidez sentida algures no interior como resultado da conjugação entre forma e conteúdo. Cativante e inspiradora!

    Parabéns à Inês e parabéns ao EJE por esta nova iniciativa.
    Saudações,
    Clarisse Silva

  3. Parabéns Inês pela sua entrevista. Gostei do que li e entendo muito bem as suas palavras, porque quem escreve poesia, é quem sente uma necessidade de desabafar e, não sendo fácil muitas vezes, fazêmo-lo através da escrita.
    Concordo com o facto de a Poesia não ser tão “consumida” como devia, porque tem que se ter sensibilidade para sentir a poesia, para a ler e entender, tal como tem quem a escreve.
    Considero a poesia como um quadro abstracto. Só quem tem sensibilidade para a Arte consegue ver nele o que não está à vista e sabe interpretar e apreciar. A Arte é assim, mexe com os nossos sentimentos.
    Infelizmente os sentimentos não vendem tanto como um romance, porque, não deixando de ter valor quem se dedica ao romance, é mais fácil de interpretar e de ler.
    Parabéns e continue a sonhar, pois como dizia António Gedeão ” O sonho comanda a vida e cada vez que um homem sonha o mundo pula e avança como bola colorida nas mão de uma criança”. Este é um Ícone da poesia, dos meus preferidos, não só pela ” Pedra Filosofal” como outros que sendo poesia, também fazem sorrir ” O Poem do Fecho Eclair” :):) Muito engraçado e é poesia da mesma maneira.
    Boa sorte e muita escrita e muito sucesso. A nossa cultura precisa de pessoas como a Inês que seguem com a sua paixão pela escrita , em frente.
    Nisso somos um pouco parecidas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s