Sem categoria

“Eternamente Perseguida…” de Dany Filipa

Caminhava eu por um lugar qualquer, incerto…
Caminhava para fugir…
Não sei bem do que era…mas fugia…
Caminhava descalçada…a estrada tinha pregos, que se entranhavam pelos pés…feriam…sangue escorria…

Tonta eu, não reparara, nem sequer pensara que o sangue deixara marcas e do que eu fugira facilmente me encontrara…

Mas tonta, tonta que não reparei, não pensei…
E continuei…caminhando, fugindo…passo apreçado, respiração em estado asmático…
E cada vez mais rápido, rápido e rápido…
Mas cada vez mais eu me sentia perseguida, cada vez mais me sentia na boca do lobo…
Em vez de me afastar sentira que me aproximara, mais, mais e mais…

Tonta, tonta que não percebera…

Cansada de tanto fugir, com os pés doridos, mas sem para eles olhar…(nem saberá bem o que pisará), me escondi numa esquina dessa rua qualquer, fria e escura…
Mas continuava insegura, continuava a sentir-me perseguida…
Pelo caminho perdera o relógio que contava os minutos que fugia… Perdera tempo ao tempo… Não sabia quanto tempo tinha passado, se já era tarde, se já era dia… a rua continuava escura, não havia céu, não havia estrelas… não havia nada de normal… e eu tonta, caminhara…e caminhara…



(Ainda continuo caminhando)



(Fala uma voz de um lugar qualquer, de um lado qualquer):
– Tonta…não percebes que não vale a pena fugir…eu sempre te acompanharei a cada passo que deres…eu não estou nem atrás de ti, nem à tua frente…estou mesmo ai, dentro, dentro de ti…

Era o medo que falará…

by Dany Filipa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s