1

“Será a despedida? ” de Angélique

 

Diz que me amas estejas tu onde estiveres,

mas por favor não me magoes faças tu o que fizeres.

Nos éramos um só, agora divididos,

Dantes falávamos bem agora quase que nem nos ouvimos.

 

Diz-me o que mudou será que foi o sentimento,

Será que ele se foi apagando conforme foi passando o tempo?

Agora só fica a saudade pelo menos da minha parte,

Da que ainda há fogo e sabes que ainda arde.

Se eu pedisse um desejo era voltar a estar contigo,

Já que não sou namorada então que fosse melhor amiga.

Mas as zangas e intrigas, essas já vinham detrás,

Só queria que me provasses que de mudar és capaz.

Não sou aquilo que vês, aquilo que aparento,

Dizes que sou isto, aquilo mas será que tens um argumento?

Os dias vão correndo e eu estou sozinha aqui

A pensar naquilo que sou, sabendo que nada sou sem ti.

 

Só quero que isto seja um sonho, não é aquilo que parece,

A tua indiferença para comigo e aquilo que mais me entristece.

Dizias que me amavas que nós éramos para eternidade,

Afinal era só mentira estou sozinha com a saudade.

 

Passo noites acordada em quanto o tempo vê se avança,

Fechada no meu quarto apenas eu e a esperança.

Sei que tu já não voltas, acabou o compromisso

Mas ainda sonho com o teu regresso e apenas sonho com isso.

 

Diz-me o que é que posso fazer para te ter de volta

Sentimentos que me invadem é a tristeza e a revolta.

Dá-me uma oportunidade, eu errei eu sei admito,

Estou afogada na saudade sinto-me triste e bem aflita.

 

A mágoa não desaparece agora e eu sinto um vazio,

A falta de um abraço nos momentos em que faz mais frio.

Por favor volta para mim, por favor dá-me uma chance,

Para ficar contigo faço tudo que tiver ao meu alcance.

 

Cada momento contigo e lembrado e sempre o será,

Não me esqueci de ontem nem me esqueço hoje nem amanhã.

Não precisas de ser perfeito nem andar aos pontapés,

Basta amares-me, respeitares-me e seres sempre como és.

 

Não sei o que digo, se será tudo em vão,

Passo os dias sozinha a falar com o meu coração.

Sou prisioneira de mim mesmo, prisioneira da revolta,

da tristeza e conhecimento que o passado já não volta.

 

A vida sempre dura, sempre foi duro cada dia,

Mas sem ti é mais difícil eu perdi toda a alegria.

Eu vivia para ti para te fazer feliz,

Em baixo tu sabes que fico quando sei que não sorris.

 

Agora faz-me um favor,

Para com esta dor.

Se sentes a minha falta, sentes isso a acontecer,

Porque não voltas para mim, custa assim tanto dar o braço a torcer???

 

By Angélique

 

 

9 thoughts on ““Será a despedida? ” de Angélique

  1. O desembaraço com que a criatividade resvala nas tuas mãos é fantástico.
    Sublinho a construção metódica do poema, fortalecendo-o e tornando-o fantásticamente lindissimo.
    Muito bom ler!

  2. Valor escondido, que trasmite-o nas suas palavras, nos seus actos, nas suas frases que “traspiram” o sentimento que denotam a sua beleza interior. Sentido a cada instante, no vai e vem de emoções, relata o que lhe vai na alma, nunca deixando de parte o que lhe passa constantemente no coração.

    Vou resumir…Brilhante🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s