1

“Lúcifer” Episódio 1 da autoria de Mefistus

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_lAVHOFnzJp0/SEdiYjEU06I/AAAAAAAAArQ/2nRubUqMsTw/s1600-h/lucifer-rising.jpg

A grande mesa oval, de costas para a sua audiência, o enorme Ser, ouvia do seu braço direito o parecer e não parecia estar a perceber.
Notava-se o seu semblante carregado. o seu ar irado, sob o manto encarnado.
De gesto vago e olhar pesado, voltou-se e encarou os presentes. Numa pausa calculada, avisou:
-Sentia que estávamos perto. Que estávamos no trilho certo. A Eternidade tem de ser usada, em buscas frutíveras. E que oiço eu? Que ainda não há vestígios da Arca??
O pequeno sujeito escondido, aproveitando a decepção, assumiu o comando:
-Os Seres Celestiais estão tão perdidos como nós. Não parecem estar a conseguir benefícios. A Arca será nossa.
-Acha mesmo fedelho? – A ira de Lúcifer era por demais evidente
-Sim, grande Líder. Deixe-me ser eu a tratar disso.
Todos os presentes estremeceram, e Lúcifer pela primeira vez neste Milénio, sorriu com vontade.
-Enviei os meus melhores seres do Mal. Enviei batalhões de fúria carnal. E tu, pequena coisa achas que podes vencer?
-Eu sei como eles funcionam. Conheço a sua organização. Já fui anjo caído, Senhor do Mal.
-Todos os Santos regressam á Terra, na busca da Arca. Ela contem todas as Pragas do Mal. Desde que no Egipto foi experimentada, logo por Deus foi guardada, escondida, esquecida!
O segundo Ser da hierarquia, rosnou:
-Varremos Constantinopla, Infiltrámo-nos no Vaticano. Até à Lendária Atlântica, mandamos mensageiros ao Engano.
-Seja, maldito fedelho. Partirás agora e sem demora. A Arca trarás, caso contrário, insecto Vil serás.
E numa explosão de fogo e cor, ele desapareceu.

O anjo Guerreiro, do Céu mensageiro, sentia estar perto. Ali postado no meio do Deserto, já estava incerto.
Este era o único Lugar onde a Arca estaria. O Sahara, com tempestades de areia regulares, seria o sitio mais achado, por Deus para ser ignorado.
Já derrotara a Esfinge cuspidora de Fogo, vencera a Medusa Enervante, procurava o Dragão, Com apoio de S. Jorge.
Agora este milénio tinha sido duro. Por duas vezes avistara a Arca, mas pelas forças do Mal tinha sido cativo. Escapara, pois era esse o desígnio de Deus.
De súbito o brilho o chamou.Tão intenso e verdadeiro que ele, ganhando forças do brilho se aproximou.
Era ela, só podia, ou era miragem fugidia?
Desembaraçando-se da espada mágica, ajoelhou-se e rezou um Salmo.Prontificava-se a chamar os Anjos Irmãos, quando uma tempestade se levantou.
O pequeno ser Maléfico e toda uma corja de aberrações à sua frente saltou.
Alcançou a Espada e por Deus investiu.
1.2.3.4.5. seres  iam caindo, devido à agilidade da sua espada emergindo, até que uma corneta soou, e logo do céu o reforço chegou. Uma legião de anjos, de corpos Celestes, auxiliaram Sebastian o anjo heróico,
6.7.8.9 seres iam desaparecendo perante a força e luz do bem.
De súbito um trovão, sem clamar por perdão, trouxe das entranhas da Terra, um novo conjunto de Seres traiçoeiros, que ao Mal se juntou.
10.11.12.13. seres  iam desaparecendo, os Anjos feridos pela maldade, com bastante gravidade. Estava o bem a perder a contenda, quando num Clarão, jesus o filho varão,ergueu os braços. Logo recuaram os malfeitores embaraçados, e os anjos embasbacados por tão Divina presença, aos seus pés ajoelharam
-Porque lutais?
-Pela Humanidade- Responderam os Anjos
-Pela Maldade! – Responderam os Outros
-Meus caros, a Humanidade mudou. Essa arca é fábula. Hoje são tementes a Deus.
-Não. Lúcifer chegou, á terra para mandar.
-Lúcifer terá de se calar. A fé nos Homens, me dará novo altar.
-Já te crucificaram. já te amaldiçoaram, já te perseguiram. Porque voltas? – Perguntava o Ser irado
-Em verdade, vos direi, Pelo Homem jamais me cansarei. A eles jamais esquecerei, enquanto houver Amor num só coração, tem meu Perdão!
O Ser olhou a ponta da arca, os corpos estendidos e percebeu que Lúcifer não viria.Pois se até Jesus aqui estava, que poderiam fazer:
-Iremos Filho varão. Mas saiba, que enquanto existir tentação, outros de nós virão. E então triunfarão!
-Retirem-se Seres maléficos, que aqui Mora um coração, que aqui á Paixão. Não acredito em Maldição.
As areias subiram e os Seres Maléficos engoliram, Os anjos subiram, com os feridos nos Braços, e já sozinho, Jesus olhou o Brilho da Arca, enquanto sarava o corpo do Anjo Guerreiro:
-E a arca jesus?
-Da Arca eu trato, mudarei de sitio.
-E se eles voltarem?
-Na verdade vos digo, que nunca foi fábula. Adiamos apenas o compromisso. Mas um dia amigo, O homem vai perder a Alma, e será o Dia do Castigo
E prontamente o Anjo adormeceu, e Jesus com a Arca Desapareceu!!

By Mefistus

2 thoughts on ““Lúcifer” Episódio 1 da autoria de Mefistus

  1. Os nomes dados aos personagens apenas servem para elucidar a dictomia bem/mal e nao para lhe dar um caracter religioso e/ou católico,na minha opiniao. O texto está muito bem escrito,coerente. O ordenamento dos diaogos e os enquadramentos deixam no ar o que pode vir a ser uma historia com principio,meio e fim. Achei o conto apaixonante e de fácil leitura e percepção.

    Parabens!

  2. Ao contrário de outros contos deste autor ( creio que pelo pseudónimo Mefistus, seja um autor e não uma autora), este não se revela de leitura fácil, mas os traços imaginativos e o carácter fantástico predominam.
    Sinceramente, gosto mais do ritmo do Crime…disse ele, mas a ousadia de relatar nomes pertencentes ao mundo religioso e a desenvoltura do uso do nome de Jesusu.Não sendo própriamente católica, fico de pé atrás com o desenrolar da história.
    De qualquer modo, a história promete.
    Cada vez a gostar mais do blog!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s