1

“Never Leave your Heart Alone” – 1º Capítulo (Estreia narrada na 1ª Pessoa)

Era sábado, o dia amanheceu cinzento e previa-se um agravamento do estado do tempo para de tarde.

Aos sábados de tarde pelas 18.00h, tinha aulas de natação e hoje não me apetecia particularmente ir, devido ao mau tempo, e a minha disposição também não estava muito dada a praticar desporto.

Preparei-me devidamente uma hora antes, para sair como habitualmente fazia. Ainda que por momentos me ocorreu novamente a ideia de não sair de casa, acabei mesmo por ir para a piscina.

Cheguei relativamente cedo, ainda faltava um quarto de hora para entrar, peguei numa revista e comecei a ler para passar o tempo mais depressa.

De repente fui surpreendida por uma menina, que aparentava os seus seis anos, que se sentou ao meu lado e que logo foi para o pé do vidro que dava para ver a piscina.

–    Mamã tem muita água! – diz a menina olhando para todos os seus lados. Verificando que não encontrava a mãe virou-se para mim com os olhos lacrimantes, perguntou-me: – A Mamã?

–    Não sei, deve estar ali fora – disse-lhe levantando-me para a conduzir à porta, mas logo apercebi-me que a mãe já estava a aproximar-se através da expressão que a menina fez.

Já estava na hora de entrar, apenas demorei cinco minutos para colocar a touca e o fato de banho e ainda me sobraram mais cinco minutos, o que me obrigou a esperar mais tempo num dos bancos que se encontravam dentro da piscina.

Mais uma vez fui surpreendida pela menina que tinha visto lá fora e que voltou a sentar-se novamente ao meu lado.

–    Está frio! – disse ela

–   É verdade, mas daqui um bocadinho, quando entrares na água, começas a brincar e a nadar, e vês que ficas mais quentinha.

Nisto ela saiu a correr.

–    Mano!

–    Megan! – disse ele

–    Põe-me a touca, faz favor! – pediu-lhe a menina.

Enquanto via-o colocar a touca e a cumplicidade que ambos estabeleciam um com o outro, verifiquei que eram novos no grupo de natação.

A aula desenrolou-se normalmente como o habitual, o rapaz veio para o lado do aperfeiçoamento, ou seja para o grupo onde eu estava inserida. A sua irmã foi para o lado da aprendizagem, que era na outra pista.

Não estabeleci qualquer tipo de conversa com ele nos três sábados que se seguiram. Ainda o considerava como um desconhecido.

By Atomicbomb

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s