1

Once in lifetime – 3º Capítulo

Passado um mês e a uma hora de descolar, Serena já se encontrava no aeroporto. Decidiu ligar a Rachel antes de partir, para se despedir, e quando desliga alguém lhe toca no ombro.

–    Serena Watson?

–    Sim a própria.

–    Nós somos as pessoas que a vamos acompanhar na viagem. Eu sou a Brandi – disse uma rapariga de estatura baixa e com um ar descontraído, enquanto mostrava a sua identificação como representante do concurso.

–    Eu sou o Vincent – disse um outro rapaz alto, bem constituído, e com o cabelo um pouco comprido, que também era igualmente um outro representante do concurso.

–    Prazer – retribuiu Serena com um aperto de mão.

–    Está preparada ou está muito nervosa? – perguntou Brandi.

–    Uh, mais ou menos.

–    Mas vai ver que se vai divertir muito e que não vai ter razões nenhumas para estar nervosa. Vai correr tudo bem. – disse Vincent com um ar reconfortante.

–    Vincent ajuda a Serena com as malas – pediu Brandi.

Serena sentia um friozinho na barriga enquanto percorria entre os dois exploradores até ao avião. Quando estava prestes a entrar olhou para trás pensando na alegria que Rachel sentiria se ali estivesse. Colocou o cinto e o avião descolou para dar início à viagem.

Já se encontravam a sobrevoar há algumas horas o Oceano. O que proporcionava uma magnífica vista da janela do avião. Serena olhou diante de si e reparou que Vincent encontrava-se a dormir mas depressa toda a sua atenção voltou-se novamente para a janela e deixou-se emaranhar pelos seus pensamentos até que estes foram interrompidos com a chegada de Brandi, que se tinha feito acompanhar com alguma comida.

Enquanto Brandi distribuía as embalagens de comida, Serena tocou na perna de Vincent para o acordar, e Vincent sentindo o toque dela deu um pequeno pulo na cadeira.

Durante a refeição que ambos faziam, Vincent chamou atenção para que reparassem que já estavam a sobrevoar sobre terra.

Ainda faltavam mais duas horas de viagem, e os três permaneciam sentados ansiando a chegada.

Pressentindo alguma turbulência no avião, Serena virou-se para Vincent  lançando um olhar demonstrando algum pânico.

–    Calma, está tudo bem! – disse Vincent reconfortando-a

Depois de Vincent ter proferido aquelas palavras, Serena voltou a sentir algum conforto centrando-se novamente na magnífica paisagem. Ao direccionar os olhos para a imagem da asa do avião reparou que saía algum fumo de lá e focou o olhar durante alguns segundos naquela imagem.

Inesperadamente o alarme do avião começou a tocar, e todas as máscaras de ar se fizeram suspender, passando de seguida a perderem altitude. Os pilotos rapidamente avisaram que não retirassem o cinto e para que colocassem as máscaras, enquanto o avião ía perdendo cada vez mais altitude. Todos se encontravam em pânico e já se tinham conscializado de que dali não iriam sair vivos. Serena apenas vira através da janela do avião cada vez mais a aproximar-se do chão, e a ser inundada de culpa por não ter avisado no que reparara que tinha acontecido à asa do avião. Não demorou muito até todo o seu corpo ficar completamente esmagado pelos destroços do avião. Bastou alguns minutos para que colidissem com o chão, e para que Serena visse todos os seus acompanhantes, perderem a vida diante de si, sentindo-se completamente impotente para impedir o pior.

Toda a aeronave ficou destruída e todos os tripulantes ficaram inconscientes. Era também notório o cheiro a gasolina que se fazia sentir vindo do avião.

Algo que parecia completamente impossível, aconteceu. Serena apesar de todos os ferimentos que sofreu conseguiu voltar a si e arranjar forças para remover uma das placas do avião que se encontravam em cima de si. Rastejando até a uma árvore deitou-se mas logo percebeu de que o avião estava a perder gasolina. Permanecendo olhando toda a destruição, começou a chorar, e apercebeu-se que algum som vindo do avião poderia indicar que mais alguém estivesse vivo.

Rapidamente procurou no meio dos destroços alguém que apresenta-se sinais vitais. Durante a sua busca era confrontada com imagens de horror e de morte. Tinha visto Brandi ensanguentada e morta, tinha encontrado igualmente os dois pilotos nas mesmas condições, até que avistara no fundo dos destroços, Vincent movendo os dedos da sua mão.

Sem perder mais tempo, até porque o avião perdia cada vez mais gasolina, Serena apressou-se a retirar os destroços que se encontravam por cima de Vincent e colocando o braço dele em volta do seu pescoço e agarrando em volta da sua cintura conseguiu movê-lo para o mais distante do avião que conseguiu, e sem olhar para trás ouviu o avião explodir. Apenas semicerrou os seus olhos e logo se apercebeu que já não podia fazer mais nada para salvar o resto dos tripulantes, a sua única preocupação, agora, era Vincent.

By Atomicbomb20

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s